Novo empresário: como saber se sua empresa em Santana está dando lucro

 

Os primeiros anos de uma empresa são cruciais para que ela dê certo, pois sabemos que a grande maioria dos negócios acabam fechando suas portas ainda nos primeiros meses de existência. Para que isso não ocorra com o seu, se envolver com as finanças é fundamental.

No entanto, eu tenho ouvido muitos empresários comentando que não conseguem acompanhar de maneira satisfatória a parte econômica do seu empreendimento e, com isso, não conseguem compreender ao certo o que está dando lucro e o que está dando prejuízo. Para te ajudar a lidar melhor com seus números, resolvi escrever esse post para compartilhar meus conhecimentos sobre o assunto. Vamos conferir?

Organize as suas contas


A primeira dica que eu posso dar para que você consiga saber se a sua empresa está dando lucro é: organize as suas contas! Essa tarefa parece simples, mas o fato é que boa parte dos empresários não dá a devida atenção a essa tarefa, que envolve despesas como contas de água, luz e telefone, fornecedores, salários, encargos trabalhistas, imposto e muito mais.

Uma boa alternativa é dividir os seus gastos em categorias. Que tal diferenciar despesas fixas (como as contas mensais e a folha de pagamento), variáveis (preços com frete, bonificações, custos extras e imprevistos) e investimentos (melhorias na empresa, contratação de pessoal e propaganda e marketing)? Isso permite que você saiba ao certo para onde está indo seu dinheiro e conheça qual o seu gasto bruto, que é imutável, e trabalhe com mais conhecimento de causa quando precisar realocar recursos ou reduzir o valor dos gastos variáveis. Também ajuda a tomar decisões e considerar se seu orçamento permite investimentos maiores no momento ou não.

Saiba ao certo qual é a sua margem de lucro


Um ponto fundamental para conhecer a fundo os lucros da empresa é efetivamente saber qual é a sua margem de lucro. Vejo muito empresários com dúvidas banais sobre esse tema, porque o senso comum nos diz que a margem é apenas a diferença entre o preço de compra e o preço de venda. Ledo engano, meu nobre empreendedor! A margem de lucro real é a que leva em conta os preços de frete, o armazenamento, a embalagem, o custo de captação do cliente e todos os outros gastos que envolvem o processo de vendas. Somente quando todos esses fatores entrarem na conta é que você saberá se um produto traz retorno de fato ou não!

Apure seu fluxo de caixa


A análise do fluxo de caixa é, obviamente, um recurso para conhecer a situação financeira do empreendimento. Mas o que você talvez não saiba é que ele não conclui com exatidão os lucros da empresa. Para avaliar se o seu negócio está dando lucro ou prejuízo, é essencial apurar os resultados. É isso que vai ajudar a identificar qualquer falha na gestão financeira e a determinar o ponto de equilíbrio para que sua gestão seja economicamente sustentável e gere lucro. Apure, analise minuciosamente e compare essa avaliação com as anteriores. Dessa forma, é possível planejar os meses seguintes e saber se sua empresa está crescendo ou não.

Se você seguir as dicas que eu dei, tenho certeza de que conhecerá os lucros da empresa de uma maneira muito mais real do que antes. Os empresários muitas vezes não dão a devida importância, mas é esse dinheiro que permitirá maiores investimentos e trará a prosperidade que você espera. Mesmo que você seja um novato, use esse conhecimento a seu favor e ganhe destaque no mercado!

Fonte: guiaempreendedor.com

[Contabilidade]

Contabilidade em Santana

Pensando em abrir uma empresa de prestação de serviços? Veja essas dicas

 

Se você está pensando em abrir uma empresa de prestação de serviços, precisa estar atento em alguns critérios existentes.

Toda empresa prestadora de serviços é de Natureza Jurídica (PJ), e as atividades que se ligam a ela win product key são baseadas no lucro obtido por meio de um trabalho exclusivo na prestação de serviços.

Quem pode abrir uma prestadora de serviços?

Qualquer pessoa especializada em uma área, pode montar uma empresa de prestação de serviços.

O profissional não precisa necessariamente ter um diploma, basta que possua alguma experiência que agregue valor a vida ou carreira de determinado (s) público (s) alvo (s).

Nesse sentido entrará:

  • Talento.
  • Habilidade.
  • E conhecimentos.

Ainda nesse contexto, os profissionais associados podem ser:

  • Técnicos em Informática
  • Eletricistas.
  • Cabeleireiros.
  • Consultores
  • Organizadores de eventos.
  • Técnicos em Manutenção Predial
  • Entre outros.

Podem também exercer profissões regulamentadas e que exigem graduação, tais como:

  • Médicos
  • Engenheiros
  • Dentistas
  • Advogados
  • Nutricionistas
  • Entre outros

O que é preciso para formalizar uma empresa de prestação de serviços?

1 – opção pelo regime tributário

  • Se o seu faturamento for abaixo de R$60.000,00/ano ou R$5.000,00/mês, a opção mais interessante é você se tornar um MEI (MIcroempreendedor Individual ), pois você terá uma carga tributária baixa e com valor pré-definido. No entanto, você deve consultar se o seu tipo de negócio pode ser enquadrado como MEI.
  • Se o seu faturamento for acima de R$ 60.000,00 por ano, a opção mais indicada é uma micro ou pequena empresa. Como micro ou pequena empresa você poderá optar por três tipos de regimes tributários: Lucro Real, Lucro Presumido ou Simples Nacional. O mais vantajoso dos três, dependendo do seu faturamento é o Simples Nacional, porém, é interessante você sentar com seu contador para simular qual o melhor enquadramento tributário para o seu tipo de negócio e faturamento.

2 – Registro na Junta comercial e CNPJ

O empreendedor precisará fazer um registro nos órgãos competentes do município e estado ao qual está sediado.

E o que é preciso para registrar e abrir uma empresa prestadora de serviços?

  • Primeiro passo para abrir uma empresa de prestação de serviçoÉ importante ter um contador para maiores esclarecimentos e orientações quanto a consulta da viabilidade acheter viagra via REGIN, que se trata de um sistema de cadastro integrado, que centraliza as entradas de informações cadastrais das empresas nas: Junta Comercial, Receita Federal, Secretaria de Fazenda Estadual e Prefeituras Municipais. Por meio dela também é possível verificar a viabilidade da implantação da empresa.
  • Segundo passo para abrir uma empresa de prestação de serviço – Confecção do contrato social ou o chamado de Requerimento de Empresário (para o empreendedor que não possui sócio). É importante fazer o registro desses documentos na Junta Comercial do Estado ou Cartório. Para isso é preciso: dar entrada no CNPJ por meio do DBE, que é o Documento Básico de Entrada. Caso a empresa além de ser prestadora de serviços, comercializar mercadorias, a mesma vai precisar de inscrição estadual.
  • Terceiro passo para abrir uma empresa de prestação de serviço – Depois do deferimento ou liberação do seu contrato social, da inscrição estadual (se for o caso) e do CNPJ, é preciso providenciar o registro da empresa na prefeitura do seu município, para solicitação do alvará de funcionamento.

Os custos para a abertura da empresa, depende de cada município, por isso é sempre importante ter a consultoria de um contador. Depois que a empresa tiver com a inscrição municipal, ela já poderá funcionar regularmente.

Prazos de abertura de uma empresa de prestação de serviço

O prazo para abertura de uma empresa de prestação de serviço dependerá especificamente da agenda dos órgãos competentes. Portanto, pode haver uma variação de 5 a 25 dias úteis, a partir do registro feito na Junta Comercial e do Cartório.

Conclusão

O processo de formalização de uma empresa no Brasil, é um dos mais complicados do mundo, pois existem modelos diferentes de tributação, pois, dependendo do porte e de outros pontos, a empresa pode ser enquadrada em um perfil, já em outro não.

Por esse motivo, como você pode perceber, são muitos pontos para se avaliar, consultar, para então receber aprovação.

Se você tem o desejo de começar certo e não ter problemas com o negócio, podendo se desenvolver de maneira crescente e ajustada no mercado, o primeiro passo é estar ciente da regularidade de seu negócio e da tributação que precisa ser paga de maneira correta.

Diante do exposto, por causa da burocracia, taxas, porte, enquadramento tributário e muito mais, é bom você contar com um ótimo aliado para lhe ajudar a empreender: o Contador!

Consulte uma Assessoria Contábil especializada em empresas prestadoras de serviços, e você vai ver como pode ser vantajoso você formalizar sua empresa e ter muito sucesso no mundo dos negócios!

Nós podemos ser seus aliados!

Fonte: pereiraegoya.com.br

Interdados

7 passos para legalizar sua empresa

 

Como legalizar uma empresa?

O empresário só tem noção da batalha que é empreender quando se depara com a notícia de que para dar início às suas atividades é preciso muito mais que um contrato social e um número de CNPJ. Para não ser pego de surpresa pela fiscalização, aqui vão algumas dicas:

1. Zoneamento


– verifique na prefeitura se a atividade que pretende instalar é permitida no local.

2. Planta do imóvel


– solicite ao proprietário do imóvel a planta previamente aprovada na prefeitura, pois ela será necessária no processo de obtenção do alvará de funcionamento.

3. Contrato de locação


– exija o contrato por escrito e com prazo determinado, preferencialmente de cinco anos. Ele será necessário na abertura da empresa.

4. Inscrições estadual e municipal


– dependendo da atividade, é necessário uma ou outra, ou ambas.

5. Laudo dos bombeiros


– é necessário ter um laudo permissivo do Corpo de Bombeiros para obtenção das licenças.

6. Licença de anúncio publicitário


em algumas cidades é necessário obter autorização ou obedecer a medidas específicas para colocação de placas.

7. Licenças específicas


verifique se a sua atividade requer autorizações específicas, seja de órgãos fiscalizadores como a Anvisa ou por órgãos de classe como OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) ou CRO (Conselho Regional de Odontologia). Se preciso, é provável que haja requisitos a serem preenchidos, tais como qualificação técnica dos sócios ou equivalentes e layout do estabelecimento, entre outros.

Fonte: exame.abril.com.br

Interdados

5 dicas para sua empresa se destacar no mercado de Santana

 

Conhecer o perfil do público consumidor é um dos pontos cruciais que ajudam um negócio a ser bem sucedido no mercado.

Todos os anos, milhares de pessoas abrem suas próprias empresas no Brasil e no mundo, seguindo suas vontade de se tornarem seus próprios chefes. Entretanto, a cada 100 empresas que são abertas no país, 48 encerram suas atividades em, no máximo, três anos.

Para ter um negócio bem sucedido, segundo Jonathan Souza, um dos fundadores da Agência Publicidade Popular, é preciso seguir algumas regras. “Neste mercado altamente competitivo, é preciso revolucionar a forma como as empresas se relacionam com os clientes e oferecem seus produtos, por exemplo”, afirma.

Souza oferece algumas dicas que prometem ajudar empresários a sobressaírem seus negócios, entregando resultados diferenciados para seus clientes. Confira:

1. Conheça seu consumidor

Parece simples, mas muitos ignoram que conhecer quem está comprando seu produto ou desfrutando do seu serviço merece toda a sua atenção. Perceba a maneira com que eles compram, quais produtos que eles gostam mais e quanto eles gastam. Dessa forma, você poderá agradar de uma forma mais eficiente os seus clientes;

2. Adapte-se aos novos públicos

Os consumidores querem empresas que oferecem liberdade e conveniência. Procure encontrar um meio termo que una ambas essas características, tentando atender uma demanda diferente da tradicional, ou seja: entrando em contato com clientes novos;

 3. Esteja online

“Estar online” não é só possuir um site com uma sessão “fale conosco”. As mídias digitais, como o Facebook, estão se mostrando cada vez mais essenciais para empresas que querem ter liderança de mercado, tanto no Brasil como no mundo. Mas não pense nem por um segundo em deixar seu site, blog ou fan page parado: para que o cliente se identifique com a marca, é preciso que a empresa sempre poste conteúdo relevante, que agrade o cliente, tornando-se parte do seu dia a dia;

4. Pense no amanhã

Claro que todos pensam no futuro, mas você já parou para imaginar como será o amanhã da sua empresa? Esse exercício permite que os empresários pensem em diversos cenários possíveis, o que leva a reflexões sobre como sair de crises, inovar ou se destacar de maneira diferenciada, por exemplo, gerando um brain-storming que expande o conhecimento sobre seu próprio negócio;

5. Seja flexível

As novas gerações tendem a pensar muito no equilíbrio entre a vida profissional e o trabalho, e a possibilidade de ter essa flexibilidade influencia muito na hora de contratar uma empresa para fazer determinado serviço, por exemplo. Além disso, oferecer essa flexibilidade de horários aos seus colaboradores também é uma forma de manter um ambiente de trabalho mais feliz e produtivo.

Fonte: administradores.com.br

Interdados

Contabilidade em Santana

Qual o perfil do empreendedor brasileiro?

 

Os brasileiros são empreendedores e esse é um fato incontestável que diversas pesquisas nos comprovam. O artigo retrata qual é esse perfil e outros dados de uma pesquisa muito conceituada no Brasil e no Mundo.

O brasileiro é um povo empreendedor! Você acredita nessa afirmação? Quais são os dados e fatos que comprovam isso? Segundo o sumário executivo de 2013 do “Global Entrepreneurship Monitor”, que é um projeto iniciado em 1999 por meio de uma parceria entre a London Business School e o Babson College, hoje com a parceria do Sebrae e coordenação do Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBQP), sim, o Brasil é um país de empreendedores.

O projeto tem como objetivo compreender o papel do empreendedorismo no desenvolvimento econômico dos países e hoje se constituí no maior estudo em andamento sobre o empreendedorismo no mundo.

Vamos aos dados do perfil do empreendedor brasileiro:

• As mulheres são a maioria (52,2%). Na região Nordeste há um indicativo de uma pequena maioria de homens (50,9%);

• No Brasil e em todas as suas regiões, a faixa etária onde se observa a maior frequência desses empreendedores é a de 25 a 34 anos (33,1%);

• A maior parte dos empreendedores iniciais brasileiros (50,9%) apresenta níveis de escolaridade menor que segundo grau completo. Merece destaque a região Nordeste, onde 42,1% dos empreendedores iniciais possuem segundo grau completo;

• A grande maioria dos empreendedores iniciais brasileiros provem de famílias com até 4 pessoas (77,2%). Esse fato também se verifica em todas as regiões do país;

• A faixa de renda predominante é de menos de 3 salários mínimos (61,6%). Nas regiões Norte e Nordeste, esse percentual alcança 73,4 e 66,0%, respectivamente;

• A maioria dos empreendedores iniciais é natural da própria cidade (57,5%), aspecto que se repete em todas as regiões;

• O empreendedorismo responde por 20% do PIB brasileiro e 60% dos 94 milhões de empregos estabelecidos;

O estudo ainda afirma que as características recentes da economia brasileira, centrada no aumento do consumo de massa e no mercado interno, favorecem o aumento na quantidade dos empreendimentos, porém esses se caracterizam como sendo pouco inovadores, em atividades econômicas com pequenas barreiras de entrada e com baixa inserção internacional, particularmente de serviços.

Os resultados do GEM 2013 são bastante favoráveis ao empreendedorismo no Brasil. Com o aumento da taxa de empreendedores iniciais, estima-se que 40 milhões de brasileiros, entre 18 e 64 anos estejam envolvidos com a atividade empreendedora. Além disso, verificou-se também o aumento da proporção de empreendedores por oportunidade, o que reflete uma decisão mais planejada em relação à opção pelo empreendedorismo, aumentando a probabilidade de sucesso do negócio. O estudo revelou também que, pela primeira vez no Brasil, a proporção de mulheres empreendedoras superou a proporção de homens (52,2% contra 47,8%). Como oportunidades de melhorias, o estudo revelou os baixos percentuais de novidade nos produtos e serviços, além da baixa perspectiva de geração de empregos nos próximos cinco anos. Apesar disso, o empreendedorismo desfruta de uma excelente imagem no país, dado que a proporção de pessoas que consideram o empreendedorismo como uma opção de carreira é superior a 80%.

Fonte: administradores.com.br

Interdados

5 dicas para gerenciar as páginas de redes sociais da sua empresa com excelência

Se você tem o plano de empreender e quer tirar seu projeto de startup do papel, ou até mesmo se já tem uma empresa digital, é muito importante que você entenda a importância e relevância que as Redes Sociais têm sobre o seu negócio.
Contando com um fluxo de usuários muito grande, páginas em redes sociais como o Facebook, Twitter e Google+ são a chave para conseguir visibilidade online para o seu negócio. Isso acontece pois, hoje, as redes sociais se caracterizam como o canal mais abrangente, direto e constante de comunicação que uma empresa consegue ter com o público, tornando-se uma fonte valiosa de divulgação e afirmação de autoridade no seu nicho de mercado.
Por isso, você deve se preocupar em manter suas páginas atualizadas e, para te ajudar a tirar o melhor que as redes sociais tem a oferecer, separamos 5 pontos importantes que você deve levar em conta quando estiver criando sua estratégia online.
Vamos a eles:

1. Produza conteúdo relevante


Uma das principais coisas que você deve entender antes de mergulhar no mundo web é que as redes sociais não devem ser usadas apenas como um canal de divulgação do seu produto, mas também como uma plataforma de compartilhamento de conteúdo.
Apesar de ser fundamental fazer propaganda do seu negócio, em uma rede social como o Facebook ou o LinkedIn, as marcas que mais atraem o público online são aquelas que produzem conteúdo relevante. Por isso, invista em postagens educativas, de entretenimento ou inspiradoras, por exemplo – pense no que faria seus possíveis clientes terem vontade de curtir sua página e acompanhar o que você tem a dizer.
Essa estratégia é chamada de marketing de conteúdo e preza atrair clientes de uma forma mais natural e menos intromissiva do que o marketing tradicional faz.

2. Converse com seu público


Sabe a sensação de ir a uma loja física e ser bem atendido? A gente leva super em conta se os atendentes são prestativos e simpáticos e acabamos relacionando as características positivas e negativas daquela experiência à marca, não é mesmo? Pois é exatamente isso que você deve ter em mente na hora de se relacionar com seus clientes online!
Com as propagandas mais tradicionais caindo em descrença, as pessoas veem na internet a maneira mais fácil e direta de se comunicar com uma marca e ser ouvida por ela. Portanto, aproveite que uma das palavras-chave que rege o mundo web é interação e não tenha medo de se relacionar de uma forma mais próxima à sua audiência.
O primeiro passo é entender que a era das respostas automáticas acabou – uma das maneiras de virar as redes sociais ao seu favor é investir em uma conversa mais one-on-one com o seu público!
A interação individualizada é uma característica importante para quem quer se destacar no mundo online, por isso tenha o cuidado de responder de forma personalizada os comentários em suas publicações e as mensagens que sua página receber. Chame pelo nome, dê dicas extras, resolva problemas e agradeça as críticas: essa é uma forma de mostrar que você escuta e se preocupa com o que aquela pessoa tem a dizer sobre você.

3. Fale a mesma língua do público


Outro ponto muito importante para quem quer ter uma boa comunicação com seu público online é adaptar a sua linguagem à deles.
É verdade que a internet – e, principalmente, o universo das redes sociais – dispensa formalidades, mas isso não quer dizer que qualquer marca pode apostar em um discurso brincalhão, por exemplo. Por isso, é imprescindível que você estude seu público para entender como se comunicar com ele.
Sem essa preocupação, é muito provável que sua mensagem seja recebida da forma errada – ou até mesmo nem seja recebida -, o que vai acabar com a sua estratégia de posicionamento de marca.

4. Invista na apresentação das postagens


As redes sociais são conhecidas por serem extremamente visuais: os conteúdos que mais chamam a atenção dos usuários são aqueles que contêm imagens atrativas, vídeos ou gifs. Com isso em mente, é importante que, na hora de criar seu conteúdo, você pense com cuidado em sua apresentação.
É interessante que você teste diferentes tipos de imagem, conteúdo em vídeo e teasers, por exemplo – experimentar abordagens diversas é o que vai te fazer saber à qual forma de post seu público mais engaja.

5. Crie anúncios


Uma das facilidades proporcionadas pelas redes sociais é a possibilidade de veicular anúncios por meio de ferramentas das próprias plataformas.
Criar anúncios online é uma ótima estratégia para que sua marca chegue a um público maior do que você conseguiria alcançar se dependesse apenas da procura orgânica dos usuários. E se anúncios online em páginas de blogs ou site de pesquisas já conseguem atrair mais clientes para o seu negócio, imagine como essa função pode ser potencializada no Facebook, que já conta com mais de 100 milhões de usuários no país!
Com o Facebook Ads você pode anunciar tanto propagandas do seu produto quanto publicações de conteúdos que sejam interessantes para a sua estratégia de marketing. Sendo assim, você tem a chance de se consolidar, para uma audiência maior e que, talvez, ainda não te conheça, como uma marca que produz conteúdo de relevância.
Agora que você já sabe como gerenciar as páginas da sua empresa com excelência, é hora de aprender como otimizar seu conteúdo a fim de conseguir monetiza-lo.
Com cada vez mais pessoas preferindo consumir conteúdo em formato audiovisual, a maneira mais indicada de conseguir transformar sua audiência em clientes é com o uso de vídeos. A Samba já incorporou essa estratégia e conseguiu transformar conteúdos em vídeo em oportunidades de venda.
Fonte: empreendedormoderno.com.br

Interdados

Agregar valor também faz parte da jornada empreendedora

Existem empreendedores que têm uma ideia equivocada do que é agregar valor e, também, os que desconhecem como fazê-lo. Então, acompanhe a leitura e entenda mais sobre o assunto!

O mercado está cada vez mais competitivo e os empreendimentos precisam evoluir constantemente mostrando cada vez mais o seu valor. Seja pela qualidade dos produtos oferecidos ou pela forma de comunicação com os clientes, é necessário agregar valor ao que é ofertado.

Para que os consumidores optem pelos serviços ou produtos do seu empreendimento, é importante se posicionar de maneira diferenciada no mercado, resultando na fidelização do público alvo, alavancando as vendas e garantindo que o negócio cresça de maneira sustentável.

Existem empreendedores que têm uma ideia equivocada do que é agregar valor e, também, os que desconhecem como fazê-lo. Portanto, leitor, preparamos esse artigo para colocá-lo por dessa prática essencial aos negócios que buscam seu tão sonhado espaço no mercado de trabalho. Ficou interessado? Confira no nosso post!

Agregando valor ao seu empreendimento

O primeiro ponto é: agregar valor não se resume a diluir custos, alcançar novos mercados, adquirir novas empresas ou priorizar planos de investimentos. Antes de tudo é preciso prestar atenção em algumas atitudes diárias.

É importante surpreender seu cliente positivamente, então busque por primazia e não se limite em entregar somente o combinado. Tenha em mente que o crescimento de qualquer organização anda lado a lado com o nível de satisfação de seus consumidores.

Feedbacks são válidos sempre! Avalie seus colaboradores, fornecedores e ouça o que seu público tem a dizer. Esteja atento as tendências e necessidades do mercado, bem como aberto para adequar os processos de seu empreendimento, prezando sempre pelo diferencial do produto e do atendimento.

Um bom relacionamento com seus consumidores é essencial para fortalecer laços aumentando as chances de negociações bem-sucedidas. Zele por ele, não deixe de retornar as ligações não atendidas e esteja de olho no seu e-mail!

O cliente tem o poder de fazer o marketing boca a boca, então cumpra os prazos combinados e saiba que não entregar seus produtos ou prestar não seus serviços nos prazos estabelecidos gera insatisfação, deteriora a relação com seus leads e impacta negativamente na marca.

Empresas são o reflexo de seus gestores e colaboradores: chegar atrasado em uma reunião sugere desinteresse, despreparo e falta de profissionalismo, portanto evite esse tipo de situação constrangedora e tenha uma postura alinhada ao que é esperado de você.

Se algo não der certo, reconheça. Responsabilizar terceiros gera enorme insatisfação, e, de maneira geral, quando empreendedor reconhece seus erros e trabalha para que sejam sanados, seu público alvo tende a ser compreensível.

O empreendedor que busca as melhores estratégias e a diferenciação agrega valor ao empreendimento de forma fundamentada. Acrescentar inovações, destacar qualidades ou diferenciais dos produtos ou serviços que o empreendimento oferece o torna distinto da concorrência. É também uma forma muito eficiente de chamar a atenção do consumidor através de conceitos claros.

Apresentando o valor agregado aos seus consumidores

  • valor psicológico: são as características e vantagens intocáveis do produto;
  • valor funcional: é o valor que vai incorporar particularidades práticas ao cliente;
  • valor econômico: é o valor que relaciona preço e quantidade.

É preciso esclarecer que além da inovação, do valor acessível e da qualidade, o produto oferecido precisa atender completamente as necessidades do consumidor.  Dessa maneira ficará mais fácil conquistar preferência dele na decisão da compra.

É importante deixar claro para o cliente que os seus produtos ou serviços são melhores do que os mesmos oferecidos pelos concorrentes. Dessa maneira, ele perceberá o seu valor no produto ofertado, havendo maior possibilidade dele o escolher.

Fonte: https://saiadolugar.com.br

Queremos ajudar você a agregar valor a sua empresa, marque uma reunião conosco para orientações de abrir ou até mesmo migrar empresa. Nossa contabilidade conta com profissionais que estão aptos para atender sua empresa.

Conheça os maiores impactos da transformação digital

 

Ainda não conhece ou não está convencido da importância e dos impactos da transformação digital no seu negócio? Então, acompanhe neste post!

A tecnologia contribuiu para grandes avanços sociais e é uma realidade que veio para ficar, mas seus benefícios não atingiram somente a vida pessoal. Os impactos da transformação digital no ambiente empresarial também fizeram com que as empresas precisassem se adequar a esse novo jeito de produzir, lidar com seus consumidores e posicionar no mercado.

Não foi uma alteração de um dia para o outro, contudo o segmento tecnológico caminhou a passos largos e dificilmente se consegue empreender dissociado de tais recursos.

Ainda não conhece ou não está convencido da importância e dos impactos da transformação digital no seu negócio? Então, acompanhe neste post as repercussões que farão você mudar de ideia.

Afinal, o que é a transformação digital?

Chamamos de transformação digital, o processo de otimização de uma estrutura organizacional por meio de ferramentas tecnológicas. Isso se traduz na adoção dos recursos disponíveis no mercado para potencializar todo o processo de produção de uma empresa.

Mais do que incorporar novas tecnologias em setores específicos, a transformação digital representa uma mudança de abordagem e engloba todas as etapas da atuação empresarial, desde a gestão da matéria-prima, até o relacionamento com os clientes.

No referido sistema, o que está em jogo é a importância desses instrumentos para uma gestão bem-sucedida, especialmente em um mercado tão competitivo, onde não basta oferecer produtos ou serviços de qualidade, é preciso trabalhar com:

  • velocidade;
  • eficiência;
  • aproveitamento máximo dos recursos;
  • atendimento diferenciado aos clientes, dentre outros.

Por que ela é uma tendência no nosso mercado?

Vivemos um período em que o acesso às informações foi extremamente facilitado e democratizado. Hoje, grande parte da população tem um smartphone ou outro dispositivo com conexão a internet.

Toda essa modernidade resultou no rompimento das barreiras físicas, os consumidores estão a um clique de adquirir o item desejado, ou já tomaram sua decisão antes mesmo de fazer contato com a empresa.

Então, diante de tais transformações, o cenário que os empreendedores se deparam com clientes muito bem informados e cada vez mais exigentes, que não estão em busca apenas de qualidade no produto ou serviço, mas também de comodidade e uma experiência única.

Assim, para se manterem competitivas no mercado, as organizações precisaram encontrar novos modelos de negócios que trouxessem o impacto de agilidade e eficiência tão esperados.

É sob essa perspectiva que a aplicação transformação digital vem crescendo e ganhando destaque a cada dia.

Quais os impactos da transformação digital para as estratégias de um negócio?

Aumento das receitas

Ao empregar qualquer tipo de mudança na estrutura de um negócio, uma das finalidades será sempre o aumento das receitas e com as tecnologias esse crescimento não diz respeito apenas ao volume de vendas.

O intuito da digitalização dos processos é justamente simplificá-los para obter maior produtividade. Na prática um dos impactos da transformação digital é ampliar o alcance das ações executadas na rotina corporativa, ou seja, conseguir alinhar o aumento de todas as potencialidades com a redução de custos.

Motivação dos colaboradores

A transformação digital é sinônimo automação dos procedimentos operacionais, as máquinas são encarregadas dos serviços repetitivos e mecanizados que não exigem esforço intelectual dos trabalhadores.

Logo, a partir do momento em que essa nova metodologia é implementada, o emprego de uma mão de obra mais qualificada se faz essencial, sendo um dos impactos da transformação digital.

O que acontecia muitas vezes, é que por falta de melhores alternativas, pessoas com certas habilidades acabavam se sujeitando a um tipo de trabalho no qual não se sentiam valorizadas, e isso reflete no nível de satisfação.

Com a realidade da era digital, que tem se mostrado imprescindível a qualquer modelo de negócio, independente do segmento de atuação ou do tamanho do empreendimento, é exigido colaboradores com talento para:

  •  tomar decisões;
  • agir sem precisar de ordens;
  • corresponder às tarefas que lhes são delegadas;
  • comportar-se de maneira que favoreça a harmonia do ambiente de trabalho.

Por esse motivo, a implementação bem-sucedida das estratégias digitais está condicionada a realização de treinamentos periódicos, maior critério na seleção dos profissionais e uma política eficiente para atrair e reter grandes talentos.

Melhor comunicação interna

Para que o andamento das atividades funcionem bem, é indispensável que todos os setores estejam integrados. Por exemplo, a linha de produção não poderia trabalhar a todo vapor, enquanto o estoque permanece repleto de mercadorias.

Portanto, dentre os benefícios gerados pelas ferramentas tecnológicas, a agilidade na comunicação interna é uma peça chave para elevar o desempenho do seu negócio.

O diálogo entre as repartições exprime uma das melhores maneiras de engajar os funcionários ao espírito de equipe. E, com o auxílio dos softwares, a cultura organizacional, bem como as suas respectivas metas são amplamente divulgadas, tornando os processos mais conscientes e eficazes.

Nesse contexto, fica mais fácil para o departamento de gestão, que precisa manter um controle sobre absolutamente tudo, tomar decisões que representem excelentes oportunidades, pois todos dados necessários estarão rapidamente a seu alcance.

Ademais, a transformação digital contribui com uma administração transparente, que sirva de inspiração para todos os colaboradores.

Engajamento com o público

Na disputa pelo mercado, os métodos de abordagem com consumidores também passaram por readaptações. Com o objetivo de se destacar perante os adversários, os empreendedores têm maior preocupação em agregar valor ao seu público-alvo.

Nesse sentido, as estratégias de marketing hoje não apresentam como finalidade atingir o maior número de pessoas possível, mas sim pessoas certas. Para isso acontecer, é feita uma segmentação de público detalhada:

  • qual a faixa etária dos potenciais compradores;
  • qual a ocupação que eles exercem;
  • se são do gênero masculino ou feminino;
  • que tipo de solução eles buscam;
  • quais as plataformas digitais eles utilizam;
  • atividades no ambiente virtual;
  • se residem em uma localidade específica, dentre outras características.

Assim, as campanhas de marketing são direcionadas apenas para aqueles que se encaixem ao perfil, ou seja, que realmente tenham potencial para se tornar um cliente.

Os investimentos devem estar voltados ao desenvolvimento de conteúdos relevantes e que chamem a atenção dos leads de forma menos invasiva.

Se o público está cada dia mais presente nas mídias digitais, a empresa que deseja estreitar os vínculos e engajar seus clientes necessita de aproveitar-se da tecnologia para construir uma presença online forte.

Ampliação do modelo de negócio

A transformação digital tem o poder de oferecer inovações que aumentarão o leque de oportunidades de atuação da empresa. A exemplo disso temos o comércio eletrônico, ou e-commerce, como também é conhecida a atividade de vendas pela internet.

Antes dessa possibilidade, os negócios existiam apenas nos ambientes físicos, o que limitava bastante a carteira de clientes. Mas a tecnologia rompeu com essas barreiras, e agora os empreendedores podem contar com a alternativa de adotar o modelo de venda virtual, seja no próprio site corporativo ou no dos seus parceiros.

Há também uma expansão do modelo de empresas que fornecem soluções aos processos de outras empresas, como as SaaS, que desenvolvem softwares para serem usados sem a necessidade de instalação nos equipamentos da contratante.

Competitividade com empresas maiores

Os empreendimentos de menor porte sempre esbarraram na dificuldade de menor aporte financeiro para manterem-se no mesmo nível de competitividade das maiores.

Entretanto, a transformação digital vem mudando este cenário. Agregar a tecnologia à rotina empresarial nem sempre requer investimentos vultuosos, e esse fator em muito beneficiou o os pequenos e médios empreendedores sendo um reflexo dos impactos da transformação digital.

É o caso do marketing digital, as campanhas de divulgação são totalmente moldáveis ao perfil de cada negócio, e igualmente trazem resultados positivos.

O segredo para o sucesso está no planejamento e na escolha dos instrumentos adequados — não adianta querer usar tudo que estiver ao seu alcance, porque o que é positivo para os outros nem sempre será o mais vantajoso para a sua empresa.

Como garantir transformação digital bem-sucedida?

Esteja atento às tendências futuras

O empreendedor nato não espera que o mercado não acolha mais o seu modo de trabalho para pensar nas mudanças. Além do mais, sempre haverá concorrentes produzindo itens semelhantes, as exigências dos clientes estão em constante modificação.

Isto posto, para não correr o risco de fracassar, é fundamental ter uma visão ampla para caminhar por novos rumos, antes que a falência do sistema atual aconteça.

Efetue a transformação com firmeza de liderança

Um líder deve ser exemplo de força e determinação para os seus comandados, e isso vai além de saber dar ordens. É ele quem planeja, estrutura e coloca em prática as ações que manterão o negócio em crescimento e com resultados positivos.

Enfim, quem está na liderança é o responsável pelas decisões e as consequências que delas virão. Em razão disso, qualquer inovação que venha a ser agregada a estrutura do empreendimento deve ser comandada por quem está no nível hierarquicamente superior.

Os impactos da transformação digital vão muito além das facilidades que as tecnologias podem proporcionar e simbolizam um modo diferenciado para atuar no mundo empresarial; focado em mudanças conscientes e direcionadas a um resultado satisfatório a todos os envolvidos na relação de consumo.

Fonte: https://saiadolugar.com.br

Gestão Empresarial e a importância da Contabilidade

Não é raro ver empreendedores se esquivando das questões mais técnicas da contabilidade por as considerarem complicadas ou chatas demais.
Mas, ainda que o sonho de ter um negócio próprio possa se assemelhar a um mar de rosas para algumas pessoas, os empresários de sucesso reconhecem a importância de se debruçar sobre esses aspectos no dia a dia.
Afinal, é justamente a contabilidade que ajuda a criar as condições necessárias para que o empreendimento se sustente e possa alcançar o sucesso.
Saiba qual é a importância da contabilidade para a gestão empresarial na atualidade:
Saúde em dia
A principal vantagem de ter uma boa contabilidade é a manutenção da saúde do negócio, ou seja, o equilíbrio entre as receitas e as despesas ao longo do tempo para que a empresa possa remunerar seus sócios e cumprir suas obrigações com o governo, seus funcionários, fornecedores e clientes.
Com isso, a empresa evita problemas de relacionamento que podem colocar em risco não somente sua imagem e reputação, mas também sua operação no futuro.
Decisões estratégicas
Contar com serviços de contabilidade bem estruturados facilita a tomada de decisões sobre investimentos, contratação de pessoas, desenvolvimento de novos produtos, campanhas de marketing e outras ações que ajudam a alavancar um negócio.
Somente com a contabilidade em dia o empresário será capaz de compreender como cada uma dessas movimentações estratégicas terá impacto sobre as finanças no curto, médio e longo prazo.
Menos impostos
Sabemos que os impostos são indispensáveis para que o governo consiga oferecer as condições adequadas para que as empresas e pessoas possam conduzir suas atividades. No entanto, ninguém gosta de pagar mais que o devido.
Uma gestão empresarial com a contabilidade estruturada ajuda a avaliar o melhor regime de tributação em função do momento vivido pela empresa, assim como identificar a melhor hora de alterá-lo.
Em dia com a lei
Ainda que os empresários queiram pagar menos impostos, adotar a contabilidade como aspecto fundamental do negócio também garante que a empresa cumpra com suas obrigações junto ao governo, evitando gastos elevados por multas e atrasos.
Organização impecável
Muitas empresas fazem controles contábeis apenas para constar. Por isso, um dos grandes benefícios da contabilidade bem feita é a capacidade de uma empresa manter controles rigorosos como o balanço, o fluxo de caixa, capital de giro entre outros.
Essas ferramentas ajudam o empreendedor a visualizar um retrato mais preciso da situação vivida pelo negócio e identificar oportunidades para alavancá-lo.
Vale lembrar que o Brasil é um país em que as carências estruturais colocam as empresas em desafios diários para sobreviver e manter a competitividade. Em um cenário como esse, a contabilidade é uma peça fundamental para que os empreendedores encarem os obstáculos de forma preparada e não percam a capacidade de operar, mesmo nos períodos de turbulência.
Ainda que sua empresa não tenha uma equipe estruturada para desenvolver um trabalho como esse perfil, isso não significa que não ela não possa buscar parceiros especializados no mercado para resolver o problema no dia a dia.
E você empreendedor, como tem cuidado da saúde financeira da sua empresa? Encontra muitas dificuldades?

Conte com a gente! Entre em contato com nossa contabilidade.

Fonte: http://www.portaldecontabilidade.com.br/

Os maiores desafios de quem começa a empreender | Parte1

 

Quer ter seu próprio negócio, mas não sabe como irá superar os obstáculos da vida empreendedora? Aprenda com quem já passou por isso:

A vida de quem tem um negócio é cheia de obstáculos – especialmente no começo da empreitada, quando a falta de prática na administração de empreendimentos é mais latente. Diante de tantos desafios, muitos abandonam o sonho de serem seus próprios chefes.
Mas não tem de ser assim. O melhor antídoto para a falta de experiência no mundo dos negócios é anotar os conselhos de quem já errou: outros empreendedores.
Por isso, reunimos grandes obstáculos de quem começa a empreender, com depoimentos de empreendedores reais com empreendimentos reais. Eles também relataram qual foi a solução encontrada para superar a adversidade e continuar com o negócio.
Dividimos em duas partes, Confira, a seguir,  quais são os 6 maiores desafios de quem está começando a empreender:

1 – Lidar com a solidão e a inexperiência

Muitos empreendedores citaram a falta de experiência ou de conhecimento como um grande desafio na hora de começar a empreender.
Vários, por exemplo, não sabiam como gerir as diversas áreas de uma empresa. “As maiores dificuldades para empreender surgem da falta de experiência ou de conhecimento especifico sobre a vastidão de temas que envolvem uma organização, do desenho de processos até detalhes do sistema tributário”, afirma Ana Cecilia Navarro, sócia da marca de roupas Dra Cherie.
Outros empreendedores citaram a falta de experiência em seu próprio ramo de atuação. “O maior desafio era que não possuíamos experiência anterior em empreendedorismo no segmento de internet”, conta Fernando Cymrot, do e-commerce automotivo Canal da Peça.
A solução encontrada por todos foi parecida: ler muito para aprender sobre o assunto e procurar mentores – pessoas que já passaram por situações similares e que podem transmitir seus conhecimentos e experiências, além de acompanhar os passos do seu negócio.
Outra solução é apostar na experiência dos seus próprios funcionários – desde que haja o plano de que esse conhecimento seja repassado para mais pessoas da equipe, evitando a dependência. Foi o que fizeram Daniel Luco Navarro e Gustavo Brunello, sócios-fundadores do negócio de alimentação LuccoFit.
“A solução encontrada foi se aliar a profissionais de qualidade, como cozinheiros e nutricionistas, que se identificam com a empresa e estavam dispostos a crescer juntos, dando o direcionamento e aperfeiçoando nossos processos”, contam os empreendedores.

2 – Abandonar de vez a vida de funcionário

Um desafio comum a quem quer abrir sua própria empresa é enfrentar o medo de abandonar a vida de funcionário. E a melhor solução para superar o receio é se cercar de uma rede de apoio e troca de conhecimento.
“A ‘solidão’ do empreendedor foi um grande desafio: não ter a estrutura corporativa que muitas vezes suporta com treinamentos, projetos e coaching fez com que eu me sentisse um pouco sozinho no início. Para superar estes desafios e não deixar que atrapalhassem o desenvolvimento do negócio, busquei na rede de amigos e de colegas empreendedores a ajuda necessária para aprender rápido sobre temas de startup”, conta Marco Zolet, CEO e fundador do Supemercado Now.
“Assim como eu, muitos empreendedores vieram de cadeiras corporativas e, em algum momento em suas vidas começam a empreender. Porém, o modelo mental ainda está preso no antigo mundo”, concorda Glauco Della Veja, fundador do negócio de networking República de Negócios.
“A solução para mim foi fazer uma formação voltada a negócios, liderança e empreendedorismo e também fazer um tour com vários empreendedores. Fiz muitas conversas e visitei muitas empresas.”

3 – Saber quando deixar de planejar e partir para a ação

Muitos empreendedores enfrentam o desafio de saber quando parar de refinar um produto e lançá-lo no mercado – especialmente no caso das startups, em que o timing é essencial.
“Aprendi que o planejamento em excesso pode matar a empresa. Um dos principais desafios no início foi encontrar o balanço certo entre planejamento e execução”, conta Gustavo Fuga, empreendedor da 4YOU2, negócio de cursos de idiomas a preços acessíveis.
“Durante os primeiros meses criamos planos de negócio, estruturamos os detalhes da operação, pensamos em organogramas detalhados, criamos processos complexos. Todo esse planejamento drenou muito tempo e dinheiro, recursos ultra escassos em quase todas as startups. Quando percebemos que éramos reféns desse excesso de planejamento, típico de grandes empresas, resolvemos que era a hora de rasgar o plano de negócios e ir para a rua testar demanda. Ou seja, executar e aprender durante a jornada.”

4 – Calcular custos antes de abrir uma empresa

Afinal, quanto custa abrir o seu futuro negócio? E de quanto dinheiro você vai precisar para não morrer na praia enquanto a empresa não dá lucro? Essas questões representam um grande desafio na vida de um empreendedor: cuidar das finanças empresariais.
Afinal, quanto custa abrir o seu futuro negócio? E de quanto dinheiro você vai precisar para não morrer na praia enquanto a empresa não dá lucro? Essas questões representam um grande desafio na vida de um empreendedor: cuidar das finanças empresariais.
Não saber fazer as contas pode comprometer a viabilidade do seu empreendimento. “A analogia que faço é a da compra um carro novo: junta-se dinheiro para a compra do veículo, mas não se calcula o quanto vai custar a gasolina, a manutenção, o seguro, o IPVA. E, dessa maneira, não se consegue manter o carro. No caso de uma empresa, o famoso plano de negócios é fundamental”, exemplifica Carlos Castro, fundador da marca de sapatos DIEM. Plano de negócios: Saiba com a ContaAzul como elaborar e comece agora Patrocinado
“O que fiz de diferente foi não fazer apenas um plano, mas vários: cada um com um cenário diferente, seja vendendo mais, seja vendendo menos. O último que fiz apresentava vendas nulas e, por meio dele, consegui estimar o quanto precisaria de capital de giro para aguentar um ano.”
João Furlan da Silva Telles, sócio-fundador da empresa de funilaria express ChipsAway Brasil, recomenda também o uso de sistemas que automatizam a maior parte dos cálculos, facilitando a análise mais estratégica da empresa.
Por fim, outro conselho importante é estimar o custo da burocracia e da desconfiança quanto ao seu negócio na hora de calcular o prazo de retorno do investimento.
“O tempo que gastamos para oficializar o projeto nos tomou quatro meses, falando basicamente do processo da abertura da empresa e demais processos junto a advogados, contadores e outros detalhes burocráticos. O empreendedor tem que estar disposto a trabalhar algum tempo sem perspectiva de faturamento”, afirma Paulo Teixeira, fundador do Ndays, e-commerce de produtos perto do prazo de vencimento.

5 – Defender o diferencial do seu produto

Se você está pensando em abrir uma startup, provavelmente se deparará com o desafio de convencer clientes e investidores de que sua ideia tem potencial.

“No início, enfrentei algumas barreiras para que principalmente o varejo compreendesse o diferencial do meu produto. Tive que conquistar um mercado e abrir um nicho de bebidas funcionais nas gôndolas”, afirma Daniel Feferbaum, CEO da WNutritional, fabricante brasileira de bebidas funcionais e orgânicas. “Para contornar essa situação, optamos em focar em uma divulgação por meio de profissionais de saúde que têm conhecimento técnico, pois os consideramos excelentes difusores do conceito das nossas bebidas.”
Para explicar o diferencial de seu produto, Antônio Miranda, CEO da Cuponomia, decidiu formar parcerias não com especialistas influenciadores, mas com os intermediadores do seu negócio: os grandes e-commerces. “Eles passaram a oferecer os códigos promocionais e ver como a estratégia funcionava. Gradativamente, fomos ganhando espaço e agregando valor.”

6 – Tornar sua empresa conhecida no mercado

O desafio de conquistar os primeiros clientes se relaciona a outro obstáculo: tornar seu negócio conhecido para o mercado.
Há várias formas de divulgar seu produto sem ter de pagar por anúncios de preço exorbitante. No caso da Dentpack, empresa de soluções para o mercado odontológico, a alternativa encontrada foi buscar os influenciadores do setor. Marketing digital: Conheça com a WorldSense as principais formas de anunciar na internet Patrocinado
“Eu precisava mostrar para profissionais e estudantes de odontologia que meu produto era funcional, prático e de qualidade. Nós buscamos pessoas influentes no mercado odontológico e enviamos nossos produtos para testes, pedindo que divulgassem feedbacks positivos ou negativos”, afirma Fabricio Figueiredo, sócio-proprietário da Dentpack.
Já a Direito de Ouvir, rede de clínicas de reabilitação auditiva, investiu no marketing digital e em um sistema de relação com consumidores (CRM). “Isso foi fundamental para tornar a marca e os produtos conhecidos. No último ano, a empresa cresceu 85% graças ao trabalho estratégico de conhecer, captar e reter clientes”, explica o CEO Fred Abrahão.
Fonte: http://exame.abril.com.br